Andrew Yates/REUTERS
Facebook
Twitter
Google+
Follow by Email

Tite por mais quatro anos. Há uma Copa do Mundo pelo caminho, mas é esse o desejo da CBF às vésperas do Mundial da Rússia. Os dirigentes da entidade que comanda o futebol brasileiro procuraram o treinador, através do seu empresário, para manifestar a vontade de permanecer com o trabalho do técnico e de sua comissão até a próxima Copa, no Catar, em 2022.

A ideia atrai Tite, mas, completamente focado no Mundial, o comandante só quer saber de qualquer conversa agora depois da Copa – a princípio para meados de agosto. O último contato foi às vésperas do treinador reunir a Seleção na Granja Comary. No fim do ano passado, seu empresário Gilmar Veloz já havia sido procurado pela CBF sobre a intenção na permanência de Tite – Rogério Caboclo, eleito presidente da CBF, é quem conduz a negociação para tê-lo em outro ciclo de Copa do Mundo.

– Antes, quando eles (CBF) haviam procurado, o Tite queria focar nas Eliminatórias. Depois, o Tite entendeu que estava em cima da convocação final. Sempre houve ótima relação com o Del Nero (ex-presidente) e com o Rogério (Caboclo, presidente eleito). E sempre falaram da renovação independentemente dos resultados. Isso está muito claro para o Tite e para todos – disse ao GloboEsporte.com o empresário de Tite, Gilmar Veloz.

Apenas Zagallo e Telê treinaram Brasil em duas Copas seguidas

Embora reconheça – e lamente – que a cultura do futebol brasileiro é contraproducente a períodos longos de treinadores, Tite é entusiasta de ciclos deste tipo, algo incomum na história da amarelinha. Apenas Zagallo (1970 a 1974) permaneceu no cargo entre duas Copas. Telê Santana foi técnico do Brasil nos mundiais de 1982 e 1986, mas Parreira, Edu Coimbra e Evaristo de Macedo comandaram a Seleção até Telê retornar na Copa do México.

Globo Esporte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *